Um mês após impor lockdown rigoroso, Araraquara tem dia sem mortes por Covid-19

Prefeito da cidade, Edinho Silva (PT), foi convidado pelo governo de João Doria para participar de coletiva de imprensa na capital nesta sexta-feira, 26

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2021 20h51 - Atualizado em 26/03/2021 21h12
Divulgação/Prefeitura de AraraquaraLojas da cidade foram fechadas por lockdown completo no fim de fevereiro

Pouco mais de um mês após a implementação de um lockdown total na cidade, o município de Araraquara, no interior de São Paulo, teve um dia sem mortes pela Covid-19 no período correspondente entre a quinta-feira, 25, e esta sexta-feira, 26. A informação foi dada pelo prefeito do município, Edinho Silva (PT), em coletiva de imprensa do governo do Estado na cidade de São Paulo nesta sexta. “Depois de um longo período, hoje Araraquara não registrou nenhum óbito. Depois de ter um índice de contaminação de 53% das amostras submetidas a laboratórios, ontem tivemos 7% de positivação”, disse o gestor. Durante a fala, o petista agradeceu ao governo de São Paulo, do PSDB, pela “postura republicana” ao tratar igualmente todos os chefes de municípios do estado

Segundo boletim divulgado pelo município nesta sexta-feira, a taxa atual de ocupação dos leitos de UTI na cidade é de 91%. No fim de fevereiro, começo de março e entre os dias 14 e 16 deste mês, a taxa era de 100%. “O isolamento social é uma medida dura, ela só é tomada quando não há outro instrumento. Se ainda nós não temos uma celeridade no processo de vacinação, o que nos resta para que possamos conter a contaminação e consequentemente o risco de colapso do sistema de saúde e óbitos é o isolamento social”, afirmou Edinho. O lockdown, iniciado em 21 de fevereiro, durou 10 dias e teve até mesmo o fechamento de supermercados determinado com permissão para que fizessem apenas delivery. Flexibilizações foram aplicadas a partir do sétimo dia de fechamento após uma série de críticas por parte da população. A cidade de mais de 200 mil habitantes tem 16 mil casos confirmados e 318 mortes causadas pela doença desde o início da pandemia. Um terço dos óbitos foi registrado apenas no mês de março.