Vaccari Neto nega qualquer indicação do PT pelo seu afastamento

  • Por Agência Brasil
  • 09/04/2015 16h10

O tesoureiro do PT e ex-presidente da Bancoop em depoimento à CPI das ONGs do SenadoVaccari

Ao depor hoje (9), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, disse que até o momento não houve nenhuma indicação do partido para que ele se afaste da Secretaria de Finanças e Planejamento.

“A avaliação que [faço] hoje é que tenho apoio do diretório nacional para continuar na Secretaria de Finanças”, disse. Segundo Vaccari, cabe ao diretório do PT uma eventual decisão de afastá-lo. “Serei secretário de Finanças até o dia em que o diretório nacional assim quiser”, respondeu ao ser questionado se iria continuar no cargo.

Vaccari é suspeito de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, de acordo com delatores da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Eles afirmam que o tesoureiro intermediou doações de propina em contratos com fornecedores da Petrobras.

No depoimento, o tesoureiro do PT negou aos parlamentares que tenha recebido doações ilegais para o partido, e disse não ter tratado de finanças com ex-executivos da Petrobras que o citaram em depoimentos de delação premiada.

Vaccari disse aos integrantes da CPI que não participou do comitê financeiro do PT nas eleições presidenciais de 2010 e 2014 e não arrecadou recursos para as campanhas. Segundo ele, desde 2006, a Secretaria de Finanças do partido deixou de ser responsável por financiar campanhas. “É importante ressaltar que os recursos do PT são utilizado em eleições quando são eleitorais; quando em conta partidária, são usados na manutenção do partido”, disse.

Houve momentos de tensão durante o depoimento do tesoureiro. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) se irritou com respostas indiretas e repetidas, e deixou o plenário. No início da reunião, houve tumulto depois que ratos foram soltos no plenário.