Zoológico e Jardim Botânico de SP são concedidos à iniciativa privada por R$ 111 milhões

Concessão foi firmada em leilão, com ágio de 132% em relação à proposta inicial do governo do estado; Consórcio Reserva Paulista comandará parques por 30 anos

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2021 17h27 - Atualizado em 23/02/2021 21h46
Deni Willians/Creative Commons/26.10.2013Zoológico de São Paulo é considerado o maior do Brasil

O Zoológico de São Paulo, o Zoo Safári e o Jardim Botânico, que até então eram de propriedade do governo do estado, foram leiloados à iniciativa privada na Bolsa de Valores da capital nesta terça-feira, 23. O vencedor, Consórcio Reserva Paulista, formado por cinco empresas, ofereceu R$ 111 milhões, ágio de 132% em relação à proposta mínima pedida pelo estado, de R$ 48 milhões. Segundo o governo de São Paulo, um dos objetivos é tornar os locais mais atraentes para o público com o investimento da iniciativa privada. Enquanto o Zoológico é considerado lucrativo, o Jardim Botânico tem déficit anual de cerca de R$ 4 milhões. O contrato de concessão vale 30 anos e exige a reforma, gestão, manutenção, operação, exploração e modernização dos espaços.

Pelo edital da concessão, aprovado na Assembleia Legislativa de São Paulo em junho de 2019, crianças com até 4 anos de idade não precisarão pagar pelo ingresso dos locais. Estudantes e professores da rede pública deverão ter gratuidade garantida por pelo menos dois dias da semana, além de pessoas com deficiência física e pesquisadores. A preservação das espécies ameaçadas de extinção continuará sob responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado. O Jardim Botânico foi fundado no ano de 1928 e o zoológico, considerado como o maior do Brasil, foi fundado em 1958.