Argentina deixará de exportar sete cortes de carne até final de 2023

Vendas ao mercado externo foram interrompidas pela primeira vez em maio de 2021; medida vigorará até 31 de dezembro de 2023

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2022 16h56
Marcos Brindicci / Reuters Um açougueiro arruma peças de carne bovina em um açougue em San Fernando, Argentina Suspensão visa gerar um equilíbrio entre o mercado argentino e a exportação de produtos cárneos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina anunciou, nesta segunda-feira, 3, a prorrogação da medida que suspende a exportação de sete tipos diferentes de cortes de carne bovina. São eles: assados com ou sem osso, falda, matambre, capa de filé, coxão, paleta e vazio. “A administração de exportação é estabelecida para certos cortes de carne bovina preferidos pelo mercado argentino e para consumo massivo”, explica o decreto publicado no Diário Oficial. O país interrompeu as vendas pela primeira vez em maio de 2021 com a intenção de frear os preços no mercado interno. Desde lá, a medida foi flexibilizada algumas vezes. Com o novo decreto, a suspensão da exportação fica prorrogada até 31 de dezembro de 2023. “As medidas contribuem para gerar um equilíbrio entre o mercado argentino e a exportação de produtos cárneos”, diz a portaria.