Dólar dispara e ultrapassa R$ 5,20 com restrições ao Reino Unido; Ibovespa cai

Mercados repercutem medidas adotadas por diversos países após descoberta de mutação do novo coronavírus no território britânico

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2020 11h51
Arquivo/Agência BrasilDólar fecha em queda com a nova alta do índice de preços aos consumidores dos EUA

O dólar opera em forte alta nesta segunda-feira, 21, com os mercados globais repercutindo a descoberta de uma nova variação da Covid-19 no Reino Unido e as restrições impostas por diversos países aos passageiros britânicos. Às 11h45 a moeda norte-americana avançava 1,54%, a R$ 5,161. A divisa chegou a bater a máxima de R$ 5,225, enquanto a mínima não passou de R$ 5,153. O dólar fechou a última semana com alta de 0,08%, cotada a R$ 5,082. O temor do ressurgimento ainda mais forte da pandemia contaminou os mercados em todo o mundo. O Ibovespa, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, registra queda de 1,53%, aos 116.212 pontos. Na semana passada, o pregão fechou com recuo de 0,32%, aos 118.023 pontos.

Diversos países anunciaram a proibição de voos com partida no Reino Unidos nas últimas horas. A Argentina, Colômbia, o Chile e Peru foram os primeiros países da América Latina a seguir o alerta europeu. As medidas entram em vigor nesta segunda-feira, 21, na Argentina, na Colômbia e no Peru, e na terça-feira, 22, no Chile. Ontem,uma lista de países, incluindo Alemanha, Itália, Holanda,  França, Israel e El Salvador, decidiram proibir voos com partida do território britânico em uma tentativa de garantir que uma nova cepa do novo coronavírus que está se alastrando pelo sul da Inglaterra não se espalhe por seus territórios. A Holanda acrescentou ainda que, no início de dezembro, a amostragem de um caso no país revelou a mesma cepa de vírus encontrada na ilha britânica. A Itália também comunicou neste domingo ter identificado um paciente infectado com a nova variante. Autoridades sanitárias do Reino Unido anunciaram na semana passada a descoberta da variação do vírus. A suspeita é que o novo tipo seja ainda mais contagioso e tenha ligação direta com o aumento de casos no país.

O pessimismo gerado pelas notícias de Londres se sobrepôs ao anúncio de que o Congresso dos Estados Unidos chegou a um acordo para aprovar o pacote de ajuda na casa dos US$ 900 bilhões pelo Banco Central norte-americano (Fed, na sigla em inglês). Senadores definiram a pauta neste domingo após semanas de expectativas e negociações. No sábado, 19, o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, e o senador republicano Pat Toomey estavam terminando os detalhes do acordo. Nele, o banco central manteria sua capacidade de instalar programas de empréstimos de emergência sem aprovação do Congresso.