Dólar sobe com variante Ômicron da Covid e PEC dos Precatórios no radar; Bolsa cai

Mercados ainda repercutem o corte de estímulos monetários nos EUA e declarações sobre eficácia das vacinas contra a nova variante Ômicron da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2021 11h10 - Atualizado em 01/12/2021 18h05
FERNANDA LUZ/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO Mão segura notas de dólar Dólar recua com mercados analisando impactos da inflação nos EUA

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro inverteram o sinal e passaram a operar no campo negativo nesta quarta-feira, 1º, com a tensão internacional sobre as incertezas da variante Ômicron da Covid-19 e as tratativas para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios no radar. Os investidores ainda repercutem a declaração de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, sobre a aceleração da retirada de estímulos em meio a uma inflação persistente. Após passar a maior parte da sessão em queda, por volta das 16h10, o dólar registrava avanço de 0,48%, cotado a R$ 5,663. O câmbio chegou a bater a máxima de R$ 5,670, enquanto a mínima não passou de R$ 5,579. A divisa norte-americana encerrou a véspera com alta de 0,46%, aos R$ 5,636. O Ibovespa, referência da Bolsa de Valores brasileira, mudou o sinal para baixo e operava com queda de 1%, aos 100.010 pontos. O pregão desta terça-feira encerrou com queda de 0,87%, aos 101.915 pontos, o pior patamar desde o início de novembro de 2020.

Na pauta internacional, os mercados ainda repercutem as declarações de Powell sobre a aceleração do corte na compra de títulos públicos. O chefe da autoridade monetária norte-americana mudou o discurso nesta terça-feira ao afirmar que a alta da inflação não é mais um fenômeno transitório, elevando as expectativas para a alta dos juros na maior economia do globo. Os investidores também seguem acompanhando os efeitos da nova variante da Covid-19 no processo de recuperação das economias globais. O clima pessimista foi aliviado após o CEO da BioNTech, Ugur Sahin, afirmar que a vacina desenvolvida pelo laboratório e pela Pfizer deve proteger a população contra casos graves causados pela variante Ômicron. Antes, o CEO da Moderna, Stephane Bancel, afirmou que as vacinas já existentes podem não ter eficácia contra a nova cepa.

Já no noticiário local, as atenções estão voltadas à Brasília e nas negociações para a aprovação da PEC dos Precatórios pelo Senado. O texto passou nesta terça-feira pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) com 16 votos favoráveis e 10 contrários. A medida, que propõe abrir R$ 106,1 bilhões no Orçamento de 2022, deve ser votada em plenário nesta quinta-feira, 2. O presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) chegou a colocar a matéria em pauta nesta quarta-feira, mas a votação foi transferida em meio à sabatina de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF).