Dólar vai a R$ 5,68 e acumula alta de 1,4% na semana; Ibovespa retoma os 115 mil pontos

Moeda norte-americana engata sequência de valorização e fecha no maior valor desde início de novembro; Bolsa segue mercado internacional e mantém viés de alta

  • Por Jovem Pan
  • 05/03/2021 18h29 - Atualizado em 05/03/2021 22h47
ROBERTO GARDINALLI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDODólar avança com mau humor internacional

mercado financeiro brasileiro fechou esta sexta-feira, 5, divido entre as pressões do cenário internacional com o crescimento da taxa de empregos nos Estados Unidos, e a atenção com as tratativas para a volta do auxílio emergencial após a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) pelo Senado. O dólar fechou com alta de 0,44%, a R$ 5,683 — a maior cotação desde 3 de novembro, quando encerrou a R$ 5,762. A moeda chegou a bater máxima de R$ 5,722, enquanto a mínima não passou de R$ 5,654. O resultado faz o dólar somar alta de 1,39% na primeira semana de março. No acumulado do ano, a moeda avançou 9,54%. Acompanhando a recuperação nos EUA após a divulgação dos indicadores de emprego, o Ibovespa, maior referência da Bolsa de Valores brasileira, avançou 2,23%, aos 115.202 pontos. O indicador soma alta de 4,69% em março, mas acumula queda de 3,2% desde o início do ano.

O Departamento do Trabalho norte-americano divulgou nesta sexta-feira  a criação de 379 mil vagas de trabalho em fevereiro, valor acima do esperado pelo mercado, e que levou a taxa do desemprego para 6,2%. O valor indica a recuperação da maior economia do mundo em meio a intensificação da vacinação contra o novo coronavírus. Ainda na pauta dos EUA, nesta quinta-feira o presidente do Banco Central dos EUA (Fed, em inglês), Jerome Powell, afirmou que a retomada dos indicadores ainda levará algum tempo e que a política de juros reduzidos será mantida pela autoridade monetária.

No cenário doméstico, o mercado aguarda pela votação da PEC Emergencial pela Câmara dos Deputados, prevista para a próxima quarta-feira, 10, após aprovação do texto que abre espaço para o auxílio emergencial pelo Senado. A matéria passou nesta quinta-feira com a emenda de limitar o benefício em R$ 44 bilhões. O governo federal aguarda a PEC ser aprovada também pelos deputados para então publicar a medida provisória que autoriza a retomada do auxílio. A expectativa é que as novas rodadas sejam de R$ 250 para a maior parte dos beneficiados e de R$ 375 para mulheres responsáveis pelo orçamento doméstico. A primeira parcela deve ser distribuída ainda neste mês, com pagamentos previstos até junho.