Guedes diz que faltará dinheiro para salários caso precatórios não sejam parcelados

Declaração foi dada pelo ministro durante audiência pública da Comissão de Relações Exteriores do Senado nesta quinta-feira, 19

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2021 19h33 - Atualizado em 19/08/2021 20h17
Fabio Rodriguez Pozzebom/Agência Brasil Guedes afirmou que o governo não conseguirá pagar o valor sem quebrar a Lei de Responsabilidade Fiscal e o teto de gastos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que faltará dinheiro para salários de servidores públicos caso o governo não parcele os precatórios em 2022. A afirmação foi feita durante a participação do ministro em uma audiência pública da Comissão de Relações Exteriores do Senado realizada nesta quinta-feira, 19. Segundo Guedes, pagar R$ 90 bilhões de precatórios seria “inexequível” diante da legislação. “Se essa alternativa não passar, não tem problema. Vamos mandar o Orçamento com R$ 90 bilhões para precatórios e faltando dinheiro para tudo mais, inclusive salários nossos. Salário do Executivo, do Congresso, do Supremo e do Judiciário”, ressaltou o ministro. Além disso, Guedes afirmou que o governo não conseguirá pagar o valor sem quebrar a Lei de Responsabilidade Fiscal e o teto de gastos. “Para cumprir uma lei, você descumpra outra, a menos que haja uma solução. Para eu cumprir minhas funções constitucionais, eu preciso do parcelamento”, disse o chefe da pasta.