Ibovespa retoma viés de alta puxado por valorização da Petrobras; dólar recua

Ações da estatal voltam a subir após queda de 20% nesta segunda-feira

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2021 11h41 - Atualizado em 23/02/2021 13h07
REUTERS/Sergio MoraesMercado se mantém apreensivo com riscos fiscais e de intervenção na Petrobras

Depois de um dia de fortes perdas, o mercado financeiro brasileiro ensaia a recuperação nesta terça-feira, 23, com investidores ainda apreensivos aos riscos fiscais e de intervenção na Petrobras, mas também otimistas com a aprovação pela Anvisa da vacina da Pfizer/BioNTech. Próximo das 13h, o Ibovespa, principal índice da B3, operava com alta de 1,72%, aos 114.592 pontos. A guinada é puxada pela recuperação das ações da Petrobras, que na véspera também foram as responsáveis pelo tombo do mercado, após despencaram mais de 20%. Os papéis ordinários (PETR3) registravam alta de 8,5%, enquanto os preferenciais (PETR4) subiam 10%. O pregão desta segunda-feira, 21, fechou com queda de 4,87%, aos 112.667 pontos. O cenário também faz o dólar baixar ante o real, com queda de 0,72%, a R$ 5,414. A divisa norte-americana chegou a bater a máxima de R$ 5,484, enquanto a mínima não passou de 5,412. O dólar fechou a véspera com impulso de 1,2%, a R$ 5,453.

O mercado mantém elevado o grau de incertezas após a intervenção de Jair Bolsonaro (sem partido) no comando da Petrobras, que somente nesta semana perdeu R$ 75 bilhões em valor de mercado. Na sexta-feira, 19, o presidente anunciou a troca de Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna após uma série de reajustes nos preços da gasolina e do diesel. O conselho administrativo da estatal se reúne nesta manhã para deliberar a substituição. O sinal de Bolsonaro foi encarado pelo mercado como ingerência sobre uma empresa listada na Bolsa de Valores, e acentuou o risco de guinada na política econômica do governo federal. Bolsonaro manteve o tom agressivo durante o final de semana ao afirmar que novas mudanças devem ocorrer nesta semana, e nesta segunda-feira voltou a criticar Castello Branco e o mercado financeiro. “Dia 20 de março encerra o prazo da vigência do atual presidente. É direito meu reconduzi-lo ou não. Ele não será reconduzido. Qual o problema? É sinal de que alguns do mercado financeiro estão muito felizes com a política que só tem um viés na Petrobras, atender aos interesses próprios de alguns grupos do Brasil, nada mais além disso”, disse.

O anúncio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a aprovação definitiva do vacina da Pfizer/BioNTech deve contribuir para a melhora do humor dos investidores. A novidade foi divulgada na manhã de hoje pelo diretor-presidente da entidade, Antonio Barra Torres. “Informo com grande satisfação que, após um período de análise de dezessete dias, a Gerência Geral de Medicamentos, da Segunda Diretoria, concedeu o primeiro registro de vacina contra a Covid 19, para uso amplo, nas Américas”, comemorou Barra Torres. O registro é uma decisão da área técnica, não da diretoria colegiada, e, por esse motivo, só necessita de sua publicação no Diário Oficial da União (DOU) para entrar em vigor. Uma edição extra com a decisão deve ser publicada ainda nesta terça-feira.