Inflação do aluguel sobe 0,64% em outubro e acumula alta de 21,73% em 12 meses

Aceleração do IGP-M está relacionada com o aumento do preço do diesel

  • Por Jovem Pan
  • 28/10/2021 09h18 - Atualizado em 28/10/2021 09h21
joelfotos/PixabayCom o resultado, a taxa, considerada a "inflação do aluguel", acumula alta de 16,74% no ano e de 21,73% em 12 meses

Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ficou em 0,64% no mês de outubro. Com o resultado, a taxa, considerada a “inflação do aluguel“, acumula alta de 16,74% no ano e de 21,73% em 12 meses. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgados nesta quinta-feira, 28, o índice havia registrado deflação de 0,64% em setembro. O coordenador dos Índices de Preços, André Braz, afirma que aceleração está ligada, entre outras coisas, com a alta do diesel. “A queda menos intensa registrada no preço do minério de ferro (-21,74% para -8,47%) e o aumento do preço do Diesel (0,00% para 6,61%), que neste caso, ainda não levou em conta o reajuste anunciado no dia 25/10, contribuíram para a aceleração da taxa do IGP-M”, disse.

O levantamento aponta que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve variação de 0,53% em outubro, após queda de 1,21% em setembro. O destaque ficou para o grupo Bens Intermediários, que subiu de 1,66% para 2,65% impulsionado pelo subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo percentual passou de 0,02% para 5,29% no período. Quanto ao Índice de Preços ao Consumidor (IPC), a variação foi de 1,19% em setembro para 1,05% em outubro, com três das oito classes de despesas registrando decréscimo: Habitação (2,00% para 1,04%); Transportes (1,31% para 1,07%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,38% para 0,22%). Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,80% em outubro, ante 0,56% em setembro.