Programa de emprego para jovens deve durar um ano, diz Guedes

Projeto em parceria com a iniciativa privada prevê o pagamento de R$ 600 por participante; segundo o ministro, medida será lançada ‘brevemente’

  • Por Jovem Pan
  • 26/05/2021 14h22 - Atualizado em 08/06/2021 13h55
Wallace Martins/Estadão ConteúdoChefe da equipe econômica defende usar tributação de dividendos para bancar aumento de R$ 20 bilhões no Bolsa Família

Ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou nesta quarta-feira, 26, que o novo programa federal para a qualificação profissional de jovens deve ter duração de um ano. Segundo o chefe da equipe econômica, o governo já tem recursos para lançar a iniciativa em 2021, mas busca espaço no Orçamento do ano que vem para acomodar os custos. “Nós temos recursos para esse ano, mas ao invés de lançar com um contrato de seis meses, estamos tentado arrumar fonte para o ano que vem para que seja um contrato de um ano”, afirmou. Não foi divulgado o custo total da medida.

O projeto será lançado “brevemente” em parceria com a iniciativa privada para fornecer cursos de capacitação e estimular a entrada dos mais jovens no mercado de trabalho. A proposta prevê o pagamento de R$ 600 por participante, dividido entre o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), custeado pelo governo, e o Bônus de Incentivo à Qualificação (BIQ), pago pelas empresas participantes. “É um treinamento para o mercado de trabalho no próprio emprego. Você é treinado para desempenhar um papel que depois será o seu emprego.” Segundo o ministro, a rede de fast food McDonald’s já sinalizou interesse. “Esse jovem pode começar a ser treinado com o desembolso de R$ 600. Nós pagamos R$ 300 e a empresa os outros R$ 300 para prepará-lo”. Nesta terça-feira, 25, Guedes afirmou que o programa deve atingir até dois milhões de brasileiros.