Secretaria Nacional do Consumidor suspende operações de crédito consignado do C6 Bank

Explodiram as reclamações de cobranças de empréstimos não contratados contra a instituição financeira

  • Por Jovem Pan
  • 30/12/2020 20h17
Foto criada por yanalya - www.freepik.comCobrança de empréstimo não contratado é um delito grave, de acordo com a Senacon

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do governo federal ligado ao Ministério da Justiça, determinou que o banco C6 Bank interrompa todas as suas operações de crédito consignado, tanto as feitas por meio eletrônico como por correspondente bancário. Caso a instituição financeira descumpra a medida, terá que pagar uma multa de R$ 100 mil para cada operação feita sem autorização. A sanção ocorreu devido ao número exacerbado de reclamações sobre cobranças indevidas contra a fintech. Entre agosto e novembro de 2020, as queixas contra o C6 saltaram de 90 para 1.811 (aumento de quase 1.900%). Entre janeiro e novembro, foram 3.390 reclamações.

Em outubro, o Procon já havia notificado o C6 Bank depois que muitas pessoas, a maioria aposentados, acusou o banco de cobrar por empréstimos não contratados. No modelo de empréstimo consignado, as parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento (do funcionário de uma empresa ou do pensionista do INSS, o Instituto Nacional do Seguro Social). Como o caso não foi solucionado, foi repassado à Senacon. A secretaria do Ministério da Justiça salientou que o suposto golpe foi feito durante a pandemia, uma época crítica para muitos dos consumidores lesados. O B6 não se manifestou.