‘Tenho vontade de privatizar a Petrobras’, diz Bolsonaro em meio a alta no preço dos combustíveis

Presidente ainda afirmou que, apesar de levar a culpa pelo aumento dos valores, não pode interferir na política de preços da Petrobras sem cometer um crime de responsabilidade

  • Por Jovem Pan
  • 14/10/2021 13h03
ANTONIO MOLINA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 07/10/2021 A declaração de Jair Bolsonaro ocorre um dia após a Câmara dos Deputados aprovar o texto-base do projeto que altera a regra do ICMS

Em meio a alta no preço dos combustíveis e o gás de cozinha, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira, 14, ter vontade de privatizar a Petrobras. O chefe do Executivo, durante entrevista à rádio evangélica “Novas de Paz“, de Pernambuco, disse que, apesar de levar a culpa pelo aumento dos valores, não pode interferir na política de preços da Petrobras sem cometer um crime de responsabilidade. “Eu posso interferir na Petrobras? Posso, mas não devo. Se interferir, vou responder por crime de responsabilidade. Posso abaixar o preço na bomba para R$ 3? Até posso, mas é crime de responsabilidade”, justificou Bolsonaro, que seguiu dizendo que o preço do combustível “sempre esteve alto”.

“É muito fácil: aumentou a gasolina, culpa do Bolsonaro. Já tenho vontade de privatizar a Petrobras. Tenho vontade. Vou ver com a equipe econômica o que a gente pode fazer. O que acontece? Eu não posso melhor direcionar o preço do combustível. Mas quando aumenta a culpa é minha. Aumenta o gás de cozinha, a culpa é minha. Apesar de ter zerado o imposto federal, coisa que não acontece aí por parte dos governadores”, criticou o presidente. A declaração de Bolsonaro ocorre um dia após a Câmara dos Deputados aprovar o texto-base do projeto que altera a regra do ICMS. A nova diretriz é que o valor seja aplicado sobre o preço médio dos últimos dois anos, no que é visto como uma forma de baratear, por exemplo, a gasolina, que custa mais R$ 7 por litro em alguns Estados.

Em live na última quinta-feira, 7, o presidente admitiu que o projeto levado à Câmara não era o que seu governo queria. “O Lira vai botar em votação o nosso projeto, mas está bastante modificado. O Lira não tem poder para decidir o que vai ser votado lá. Ele é o dono da pauta, mas o que vai ser decidido, o que vai ser votado não é aquilo que muita gente quer”, disse. Nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), utilizou suas redes sociais para cobrar a Petrobras após a Casa ter aprovado mudanças na cobrança do ICMS. “A Câmara deu o 1º passo para conter a disparada do preço dos combustíveis. Alteramos a incidência do ICMS. Fizemos nossa parte e demos uma resposta ao Brasil. Agora, esperamos pela Petrobras. Que o gás e os combustíveis fiquem mais leves no apertado bolso dos brasileiros”, escreveu Lira.