Uber lança opção de pagar mais caro para ter prioridade no embarque; entenda

Sistema custará mais do que o serviço básico; novidade está disponível apenas em Campinas, Curitiba e Belém

  • Por Jovem Pan
  • 14/10/2021 14h51 - Atualizado em 14/10/2021 14h51
JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDOModalidade permite que passageiros escolham pagar mais para ter prioridade no embarque da Uber

Em meio à onda de cancelamentos de viagens por motoristas ou a espera maior do que a habitual dos passageiros, a Uber lançou nesta quarta-feira, 14, a opção Uber Prioridade. A nova modalidade permite que os passageiros embarquem mais rápido, desde que paguem um valor extra por isso. Segundo a Uber, a tarifa vai custar “um pouco mais” do que as cobradas pela UberX, o serviço básico da plataforma de mobilidade. Nesta primeira etapa, a função está disponível apenas nas cidades de Campinas, Curitiba e Belém. Os pedidos devem ser feitos pelo próprio aplicativo da Uber. O horário de funcionamento não é fixo e acompanha a dinâmica de movimentação da cidade. “Como acontece no fim do ano, e com a maior flexibilização das medidas restritivas de combate à Covid-19, a tendência é de que haja um aumento no número de solicitações de viagens e que o uso da plataforma seja ainda mais constante”, informou a empresa.

Nas últimas semanas disparou o número de reclamações de usuários de plataformas de mobilidade pelo constante cancelamento de pedidos ou o aumento da espera pelo embarque. O movimento é impulsionado pelo encarecimento dos combustíveis, que leva os motoristas negarem viagens que não sejam vantajosas. O nível de insatisfação dos usuários foi tanto que a Uber chegou a banir 1.600 motoristas alegando “cancelamento excessivo”. De acordo com a empresa, 0,16% dos quase 1 milhão de motoristas cadastrados no aplicativo apresentaram “comportamentos que prejudicam intencionalmente o funcionamento da plataforma”. A Uber informou que os motoristas têm o direito de cancelar corridas, mas que o cancelamento excessivo configura uma violação do código da plataforma. Além disso, a empresa informou que tem ciência de que a maioria de seus colaboradores não possui tais comportamentos.