Israel anuncia construção de barreira na fronteira com a Jordânia

  • Por Agência Brasil
  • 29/06/2015 12h41
ISR - ISRAEL/TURQUIA/FLOTILHA HUMANITÁRIA - INTERNACIONAL - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, concede coletiva em seu escritório em Jerusalém, neste domingo (23). O ataque realizado por forças israelenses em 2010 contra uma flotilha que levava ajuda humanitária à Faixa de Gaza está de acordo com a lei internacional, afirmou um relatório sobre o tema divulgado neste domingo pelo governo de Israel. O documento sustenta que o bloqueio naval realizado no enclave palestino também é legal, segundo a lei internacional. 23/01/2011 - Foto: DEBBIE HILL/POOL/ASSOCIATED PRESS/AEBenjamin Netanyahu

O gabinete do primeiro-ministro israelense anunciou nesta segunda-feira (29), que Israel aprovou a construção de uma barreira de segurança ao longo de parte da sua fronteira leste com a Jordânia para barrar militantes e imigrantes ilegais. Segundo a agência France Presse, a nova barreira terá 30 quilômetros de comprimento e foi aprovada por membros do governo israelense responsáveis pela segurança.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu declarou que a nova barreira será uma continuação ao longo da fronteira sul com o Egito, que “bloqueia a entrada de imigrantes ilegais em Israel e vários movimentos terroristas”. Israel está em contato com a Jordânia para tratar da barreira, que será construída apenas em solo israelense, segundo informou o gabinete do primeiro-ministro.

Dados da Organização das Nações Unidas indicam que Israel abriga cerca de 53 mil refugiados africanos e imigrantes em busca de asilo, tendo a maioria entrado ilegalmente no país pela fronteira com o Egito. Israel conta também com uma barreira entre a Síria e o território que ocupa nos montes Golã, como proteção para a guerra civil e bloqueio de eventuais influxos de refugiados. Há ainda uma barreira de separação que atravessa a Cisjordânia.