Los Angeles terá serviço de carros elétricos compartilhados em áreas pobres

  • Por Agencia EFE
  • 24/07/2015 23h20

Los Angeles (EUA), 24 jul (EFE).- O Senado da Califórnia, nos Estados Unidos, apresentou nesta sexta-feira um plano piloto de mobilidade no qual serão utilizados veículos elétricos compartilhados em comunidades de baixa renda em Los Angeles, com o objetivo de reduzir a poluição na cidade.

“Este programa de veículos elétricos compartilhados oferece opções de transporte limpo e ao alcance do bolso das famílias sem afetar a qualidade do ar”, disse o presidente interino do Senado da Califórnia, Kevin de León, durante uma entrevista coletiva.

Joel Espino, assessor do plano, considerou que “os carros elétricos, pelo preço, só estão ao alcance dos ricos”, mas “com um orçamento estadual, renovável a cada ano, as pessoas de baixos recursos de Los Angeles poderão usá-los quando precisarem”.

Espino explicou que os veículos estarão em estacionamentos nos bairros designados onde haverá carregadores de eletricidade.

“As pessoas com carteira de motorista que estiverem autorizadas a utilizar o serviço receberão um cartão eletrônico para ter acesso ao veículo para usá-lo em suas diligências e depois estacioná-lo de volta no mesmo lugar”, explicou o assessor.

Espino acrescentou que ainda não se sabe quanto custará o serviço de utilização desses veículos, que são propriedade de empresas que ganharam a concorrência de licitações, mas que o mesmo deve estar à disposição dos usuários em novembro.

O plano, que é administrado pela Junta de Recursos do Ar (ARB, sigla em inglês), tem como finalidade colocar cerca de1 milhão de veículos elétricos em circulação na Califórnia nos próximos sete anos e contará com um orçamento de US$ 1,6 milhão para Los Angeles, com os quais beneficiarão cerca de 7 mil moradores de bairros de baixa renda.

A oferta de veículos elétricos é “uma boa oportunidade já que estão colaborando para que nós tenhamos um transporte melhor”, disse à Agência Efe Eber Espinoza, um dos moradores de Los Angeles.

Fernando Cazares, coordenador regional do Conselho para a Defesa dos Recursos Naturais (NRDC, sigla em inglês), outro promotor do plano, garantiu que o programa “ajudará a entender várias lições sobre quais seriam as melhores formas de se ajudar as pessoas e o meio ambiente”. EFE

im/rpr