Alberto Fernández critica retirada de livros LGBTQIA+ de escolas em cidade espanhola

Presidente argentino disse que hoje em dia na Espanha os ‘libertários discriminam e censuram’ e afirmou repudiar ‘qualquer tentativa de discriminação e censura’

  • Por Jovem Pan
  • 17/10/2021 16h54
EFE/EPA/YOAN VALATPresidente argentino disse repudiar 'qualquer tentativa de discriminação e censura'

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, criticou neste domingo, 17, a decisão da Justiça da Espanha de retirar 32 livros com temática LGBTQIA+ de 11 escolas da província de Castellón. “A justiça espanhola, a pedido de advogados de extrema-direita ligados ao Vox (partido), eliminou das bibliotecas das escolas de uma cidade da Comunidade Valenciana os livros que atendem e promovem o respeito à diversidade, afetando assim os direitos da população LGBT”, afirmou Fernández em seu perfil no Twitter. Entre os livros retirados está “O fim do armário”, do jornalista argentino Bruno Bimbi. Fernández elogiou o jornalista e afirmou ter lido a publicação. “Bruno é um jornalista maravilhoso que conheci durante o debate do casamento igualitário. Tive o prazer de ler justamente esse livro, que me ajudou muito a abrir minha mente”, acrescentou. Segundo Fernández, hoje em dia os “libertários discriminam e censuram” na Espanha. “Mas quero dizer que repudio qualquer tentativa de discriminação e censura onde quer que ocorra”, concluiu.