Alemanha: Merkel diz ser momento decisivo para controlar pandemia da Covid-19

A chanceler alemã fez esses comentários após participar de uma videoconferência com prefeitos das 11 maiores cidades do país, os principais focos da propagação da Covid-19 nos últimos dias no país.

  • Por Jovem Pan
  • 09/10/2020 14h03
Andreas Gora/EFEAngela Merkel é a chanceler da Alemanha

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, advertiu nesta sexta-feira, 9, que os próximos dias serão “momentos decisivos” para controlar a pandemia e travar o aumento de novos casos ou correr o risco de que a situação “saia dos trilhos” no outono e inverno europeu. Merkel fez esses comentários após participar de uma videoconferência com prefeitos das 11 maiores cidades da Alemanha, os principais focos da propagação da Covid-19 nos últimos dias no país. “Todos nós sabemos que as cidades e áreas urbanas são agora o palco onde será visto se a pandemia na Alemanha pode ser mantida sob controle ou se sairá dos trilhos. É neste pontos que estamos”, disse.

Por isso, considerou positiva a introdução de novas restrições nos grandes centros urbanos a partir de 50 novos casos por 100 mil habitantes em sete dias, tais como o fechamento de estabelecimentos à noite, a proibição de venda de álcool, limitação de capacidade e o uso de máscaras. O objetivo dessas medidas, acrescentou, é que seja possível rastrear o maior número possível de infecções, alertar todos os contatos e quebrar as cadeias de contágio, para que o vírus não se espalhe de forma “descontrolada e incontrolável”. A prioridade do governo alemão é poder aplainar a curva de infecção sem ter que adotar restrições à vida pública e à atividade econômica como em março e abril.

Particularmente, a chanceler salientou a importância para o governo recuperar a atividade econômica, garantindo empregos e mantendo, “na medida do possível”, creches, escolas e outros centros de estudos abertos. A Alemanha informou hoje que 4.516 novos casos de Covid-19 foram registrados nas últimas 24 horas, o maior número desde meados de abril, após os 4.058 confirmados ontem. Os dados dos dias anteriores variaram entre 2 mil e 2,8 mil casos. O número total de infecções desde o início da pandemia sobe, portanto, para 314.660, com 9.589 mortes, 11 das quais entre ontem e hoje. O número de pacientes recuperados é 271,8 mil.

*Com informações da Agência EFE