Após incidente nos EUA, Boeing recomenda suspensão de voos do modelo 777

A decisão de interromper as operações das 69 aeronaves em serviço no mundo está relacionada aos problemas no motor registrados neste sábado durante um voo da United Airlines

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2021 11h28 - Atualizado em 22/02/2021 14h42
EFE/EPA/Hayden Smith O Boeing 777-200 usado no voo da United Airlines ficou com um motor em chamas perto de Denver, no Colorado, no último dia 20

A empresa Boeing recomendou a suspensão das operações de todas as 69 aeronaves do modelo 777 que estão em serviço no mundo, além de todos os outros aviões com motores do tipo “Pratt & Whitney”. A decisão está relacionada ao incidente ocorrido no último sábado, 20, quando o 777-200 utilizado pela United Airlines em um voo do Colorado para o Havaí apresentou falha no motor direito logo após a decolagem. Apesar de alguns destroços terem caído sobre a cidade de Broomfield, onde ninguém ficou ferido, a aeronave conseguiu retornar ao Aeroporto Internacional de Denver com todas as 241 pessoas a bordo ilesas. Segundo a Boeing, a recomendação vale enquanto as autoridades estiveram investigando o incidente e até que a Administração Federal de Aviação identifique o protocolo de inspeção apropriado.

Utilizando como base os registros mais recentes de aeronaves, a imprensa norte-americana afirma que as outras companhias aéreas além da United Airlines que operam com aeronaves do modelo e do motor indicados são dos Estados Unidos, do Japão e da Coréia do Sul. Nos Estados Unidos, a companhia aérea American Airlines já anunciou através da sua conta no Twitter que está retirando voluntariamente e em caráter temporário as suas aeronaves Boeing 777 com motores Pratt & Whitney 4000. A mesma atitude está sendo tomada pelas companhias aéreas japonesas Japan Airlines e All Nippon Airways e pelas duas principais companhias aéreas da Coréia do Sul, a Korean Air e a Asiana.

*Com informações das agências internacionais