Argentina decreta luto nacional de cinco dias após ultrapassar 100 mil mortos pela Covid-19

País latino anunciou luto por meio de decreto em Boletim Oficial; em nota, governo expressou ‘as mais sentidas condolências’ a famílias de pessoas mortas pela doença

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2021 12h11 - Atualizado em 16/07/2021 16h01
EFE/ Juan Ignacio RoncoroniArgentina ultrapassou as 100 mil mortes causadas pela Covid-19

A Argentina decretou nesta quinta-feira, 15, luto oficial de cinco dias após atingir a marca de 100 mil pessoas mortas pela Covid-19 desde o início da pandemia. A medida foi imposta em decreto pelo governo federal e publicada em um Boletim Oficial. Na nota, o país afirmou que expressa “as mais sentidas condolências às famílias das pessoas falecidas”. Durante o período de luto oficial, todos os prédios governamentais ficarão com bandeira a meio mastro. Apesar das notas oficiais, o presidente Alberto Fernández não se manifestou sobre a marca nas redes sociais até o momento e publicou apenas um vídeo sobre a aprovação de lotes de componentes para fabricação da vacina russa Sputnik V na Argentina. A vice-presidente Cristina Kirchner também adotou o silêncio.

Personalidades e periódicos nacionais estamparam o número nas manchetes e a oposição aproveitou o momento para culpar o governo de Alberto Fernández pela cifra. O deputado e presidente do Congresso Nacional do país, Mário Negri, lembrou que o saldo coloca a Argentina em um dos piores patamares mundiais e pediu que o presidente permitisse o recebimento de ajuda “para evitar que a tragédia seja ainda maior”. O ex-presidente, Maurício Macri, criticou a quarentena do país em entrevista a uma rádio local e o deputado Luis Petro afirmou que o governo “trabalhou com improviso desde a chegada do coronavírus”, culpando a negligência do governo pelas mortes.