Argentina estuda eficácia de combinação de diferentes vacinas contra a Covid-19

Pesquisa vai selecionar quem já tomou a 1ª dose da vacina Sputnik V; um grupo vai tomar uma dose da AstraZeneca, outro vai receber a da Sinopharm e um terceiro tomará a 2ª dose do imunizante russo

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2021 16h25
Pixabay / KitzD66Com uma população de 45 milhões de habitantes, a Argentina iniciou a campanha de vacinação no final de dezembro do ano passado

O governo de Buenos Aires, na Argentina, anunciou nesta sexta-feira, 2, que iniciará o recrutamento de voluntários para a realização de um estudo sobre a combinação de vacinas contra a Covid-19. “Decidimos iniciar um estudo de combinação de vacinas na cidade”, declarou em entrevista coletiva o secretário de Saúde de Buenos Aires, Fernán Quirós. O secretário detalhou que será aberto um cadastro para pessoas maiores de 21 anos residentes da capital argentina que tenham recebido há 30 dias ou mais a primeira dose da vacina Sputnik V. Entre os voluntários cadastrados, será selecionado um grupo de pessoas que receberá uma dose da AstraZeneca, um que será inoculado com a Sinopharm e um último que receberá a segunda dose de Sputnik V.

Quirós especificou que todos os selecionados farão exames de sangue antes e depois da vacinação e serão acompanhados por quatro semanas para observação da resposta imunológica e de possíveis efeitos adversos. O Ministério da Saúde argentino havia anunciado ontem que convocaria pesquisadores das províncias de Buenos Aires, da capital, de Córdoba e de San Luis para avaliar a eficácia da combinação de vacinas de diferentes laboratórios em um mesmo esquema. Isso ocorre em um contexto marcado pelo atraso na chegada da Rússia das doses de Sputnik V, que em breve começará a ser produzida na Argentina. Com uma população de 45 milhões de habitantes, a Argentina iniciou a campanha de vacinação no final de dezembro do ano passado e, desde então, recebeu 27 milhões de doses de vacinas de três farmacêuticas (Sinopharm, AstraZeneca e Sputnik V).

Segundo dados oficiais divulgados nesta sexta-feira, 21,3 milhões de doses já foram aplicadas na Argentina até agora. Um total de 17,1 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina, enquanto 4,2 milhões de pessoas já foram inoculadas também com a segunda dose. No caso da cidade de Buenos Aires, como Quirós especificou, já foram aplicadas 1,8 milhão de doses, o que significa que 47,91% dos habitantes da capital já têm pelo menos uma dose e 12,66% já completaram o esquema de vacinação.

*Com informações da EFE