Áustria recomenda que vacina de Oxford não seja aplicada em idosos

A orientação é que o imunizante só seja aplicado somente em pessoas que possuem entre 18 e 65 anos, já que os dados sobre a segurança em idosos são ‘insuficientes’

  • Por Jovem Pan
  • 01/02/2021 17h55 - Atualizado em 01/02/2021 17h55
EFE/EPA/OXFORD UNIVERSITYA Áustria planeja começar a aplicar a chamada "vacina de Oxford" em sua população a partir de domingo, 7

O Conselho Nacional de Vacinação da Áustria recomendou às autoridades sanitárias que a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca seja aplicada apenas na população entre 18 e 65 anos de idade. A justificativa é que não existem dados suficientes sobre a eficácia e segurança do imunizante entre os idosos com mais de 65 anos. Ainda segundo a entidade, o imunizante só deverá ser utilizado em pessoas dessa faixa etária caso aconteçam problemas logísticos que impeçam o uso das outras duas vacinas aprovadas na União Europeia, a da PfizerBioNTech e a da Moderna.

A Áustria planeja começar a aplicar a chamada “vacina de Oxford” em sua população a partir de domingo, 7. No entanto, o número de doses recebidas pelo país será menor do que o esperado porque a farmacêutica AstraZeneca entregará apenas metade das doses prometidas à União Europeia. A orientação da entidade austríaca sobre o uso do imunizante em maiores de 65 anos acontece logo depois de um idoso de 83 anos falecer em Manaus um dia depois de receber a vacina da AstraZeneca. “Não podemos atribuir nenhum evento adverso à vacina até que a investigação do caso esteja concluída”, alerta a chefe da Divisão de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde, Isabel Hernandes.

*Com informações da EFE