Boris Johnson diz que acordo pós-Brexit depende da União Europeia

O Reino Unido deve chegar a um pacto com o bloco econômico até o final do ano; caso contrário, valerão as regras tarifárias menos favoráveis da OMC

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2020 12h31 - Atualizado em 27/11/2020 12h39
EFE/EPA/NEIL HALLO período de transição do Brexit termina em 31 de dezembro, quando o Reino Unido de Boris Johnson terá deixado definitivamente a União Europeia

Nesta sexta-feira, 27, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que um pacto pós-Brexit com a União Europeia depende da postura do bloco econômico. O chefe de governo afirmou que um acordo bilateral no fim do período de transição, em 31 de dezembro, “beneficiaria os dois lados”, mas admitiu que ainda existem diferenças substanciais que devem ser superadas nas negociações. Johnson deixou claro que a probabilidade de um tratado acontecer será determinado pelo interesse da outra parte, dizendo ainda que o Reino Unido pode “prosperar poderosamente” mesmo que não chegue a um pacto com a União Europeia. Se não houver um acordo, a relação entre o país e o bloco será regida pelas regras tarifárias gerais, menos favoráveis, da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Através do Twitter, o negociador-chefe britânico, David Frost, trouxe à luz quais são os desejos do Reino Unido para um tratado pós-Brexit. Ele afirmou que o pacto comercial deverá respeitar a soberania do país, o que incluiria administrar as fronteiras, decidir sobre o próprio sistema de subsídios e controlar as águas de pesca. “É tarde, mas um acordo ainda é possível, e continuarei a falar até que fique claro que não é mais possível”, escreveu. No mesmo dia, o negociador-chefe da União Europeia, Michel Barnier, anunciou que viajaria a Londres para retomar o diálogo presencialmente ainda neste fim de semana.

*Com informações da EFE