Canadá tem novo recorde de temperaturas e investiga se mais de 200 mortes estão ligadas ao calor

Cidade na Columbia Britânica quebrou recorde de calor pelo terceiro dia seguido e viu termômetros registrarem 49,6ºC; número de mortes subiu

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 10h39
EFE/EPA/ANDREJ CUKICTermômetros se aproximaram dos 50ºC no Canadá

O Canadá bateu nesta terça-feira, 29, mais um recorde histórico de calor. Um dia após os termômetros de Lytton, na Columbia Britânica, atingirem 47,5ºC, temperaturas de 49,6ºC foram registradas na mesma região. Segundo especialistas, o motivo do calor na região é uma cúpula de alta pressão que se desloca da Califórnia para a região do ártico. A área costeira do Canadá e dos Estados Unidos registrou aumento de temperatura, mas nada chegou perto do calor no interior canadense. O premier da Columbia Britânica, John Horgan, afirmou em comunicado que o calor gera “desastrosas consequências para famílias e toda a comunidade local”. Órgãos oficiais acreditam que dezenas de mortes podem ter sido causadas pelas altas temperaturas. Em posicionamento a agências de notícias locais, a legista chefe da Columbia Britânica, Lisa Lapointe, afirmou que entre a última sexta-feira e esta segunda-feira, período no qual a onda de calor atingiu a região, 233 mortes foram reportadas. Em “tempos normais”, esse número gira em torno de 130.

“Suspeitamos que o calor extremo tenha contribuído para o aumento significativo das mortes. O número deve aumentar ainda mais conforme os dados forem atualizados”, afirmou a especialista. A polícia de Vancouver também afirmou que mais de 65 “mortes repentinas” foram registradas por oficiais ao longo do fim de semana. A polícia de Surrey disse ao canal norte-americano CNN que 35 mortes do tipo foram registradas na região. Crianças e idosos são os mais vulneráveis a insolações e as orientações dadas à população são de que as pessoas se hidratem e prestem atenção em possíveis sintomas de aqueles que estão ao redor. A expectativa é de que as temperaturas fiquem mais amenas ao longo da semana, quando a onda de calor deve seguir para partes mais costeiras do país.