Cassino que pertencia à Trump é demolido e pessoas pagam para assistir à explosão; veja vídeo

Expectadores desembolsaram de US$ 10 a US$ 575 para ter uma visão privilegiada do prédio indo à baixo nesta quarta-feira, 17

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2021 16h54 - Atualizado em 17/02/2021 17h07
Reprodução Twitter ArtyTraceInaugurado em maio de 1984, o Trump Plaza Hotel and Casino foi à falência e fechou definitivamente em setembro de 2014

O Trump Plaza Hotel and Casino em Atlantic City foi demolido na manhã desta quarta-feira, 17, em meio à uma nuvem de poeira e uma salva de palmas das pessoas que pagaram para assistir à explosão. O complexo, que foi o primeiro dos três cassinos de Donald Trump, operou de maio de 1984 a setembro de 2014, quando foi à falência e deixou um rastro de funcionários e fornecedores sem pagamento. Apesar de ter levado apenas alguns segundos, a sua explosão marcou o fim de uma era para o famoso destino de jogatina à beira-mar e também para o ex-presidente dos Estados Unidos: os outros dois cassinos que lhe pertenceram no passado, o Trump Taj Mahal e o Trump Marina Hotel Casino, mudaram de nome em 2016 e 2011, respectivamente.

Aproveitando-se da ocasião, um terreno que possuía uma vista estratégica para o antigo Trump Plaza Hotel and Casino cobrou US$ 10 de cada carro que entrasse ali para assistir à demolição. Outros estabelecimentos com vista para o prédio fizeram da explosão um verdadeiro evento e cobraram até US$ 575 por assentos na primeira fila, com direito a café da manhã. Também nos arredores, o Caesars Atlantic City Hotel and Casino cobrou US$ 299 pela estadia em um dos quartos com vista para a explosão, incluindo uma garrafa de champanhe na oferta. Já o Hard Rock Hotel and Casino leiloou dez pacotes de hospedagem para o dia da demolição e arrecadou US$ 6 mil com isso.

“O povo da cidade de Atlantic City sabia como a presidência (de Donald Trump) iria se desenrolar no cenário nacional porque somos uma das cidades que o conhecia melhor”, disse o prefeito Marty Small após a demolição. Em uma tentativa de arrecadar dinheiro para a cidade, Small chegou a leiloar o direito de apertar o botão que acionaria a explosão: o lance mais alto foi de US$ 175 mil. No entanto, essa ideia foi barrada pelo novo proprietário do terreno e apoiador de Donald Trump, Carl C. Icahn, que preferiu doar ele mesmo essa quantia à uma instituição de Atlantic City.