Trump celebra absolvição no julgamento e promete: ‘Movimento acaba de começar’

Com essas palavras, o ex-presidente deixou no ar mais uma vez a possibilidade de voltar à política, mas sem dar detalhes concretos, como se pretende concorrer à presidência nas eleições de 2024

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2021 22h09 - Atualizado em 13/02/2021 22h10
EFE/EPA/Erin Schaff / ArchivoDonald Trump é ex-presidente dos Estados Unidos

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou neste sábado, 12, sua absolvição no julgamento político do qual era alvo no Senado e ressaltou que seu movimento político (“Make America Great Again” ou “Tornar os EUA Grandes de Novo” em tradução livre) apenas “acabou de começar”. “Nosso movimento histórico, patriótico e belo para ‘Tornar os EUA Grandes de Novo’ acabou de começar. Nos próximos meses, terei muito a compartilhar com vocês e espero continuar nossa incrível jornada juntos para alcançar a grandeza americana para todo o nosso povo. Nunca houve nada parecido”, disse Trump em comunicado.

Com essas palavras, o ex-presidente deixou no ar mais uma vez a possibilidade de voltar à política, mas sem dar detalhes concretos, como se pretende concorrer à presidência nas eleições de 2024. Trump, que governou por um mandato, entre janeiro de 2017 e janeiro deste ano, considerou o julgamento político parte da “maior caça às bruxas” da história dos EUA. Ele agradeceu a seus advogados e aos senadores republicanos que votaram para absolvê-lo e criticou os políticos democratas que fizeram campanha por sua condenação.

O comunicado não incluiu nenhuma crítica à invasão, por parte de centenas de seus apoiadores, ao Capitólio – sede do Congresso americano – em 6 de janeiro, um dos dias mais convulsivos da história dos EUA. Naquela ação, cinco pessoas morreram, incluindo um policial. Durante toda a semana que durou o julgamento, o ex-mandatário permaneceu em silêncio público. No entanto, através de assessores, ele vinha dando informações à imprensa sobre como estava se sentindo durante todo o processo. Por exemplo, hoje uma fonte ligada a Trump disse à rede de televisão “ABC” que o ex-presidente havia ficado “petrificado”, “estupefato” e em estado de “pânico total” quando o Senado aprovou de surpresa uma proposta democrata de intimação de testemunhas, algo que anteriormente havia sido descartado. No final, porém, o Senado decidiu por voltar atrás, algo que poderia ter prolongado o julgamento.

*Com informações da EFE