China anuncia confinamentos após aumento de casos da Covid-19 no país

País asiático identificou 39 casos nas últimas 24h e mais de 100 na última semana

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2021 16h18
Cidade de Pequim pediu aos moradores que evitem viagens e aglomerações sem necessidade

O governo da China anunciou nesta segunda, 25, a realização de novos confinamentos em cidades do norte do país e pediu aos habitantes de Pequim que evitem viagens e deslocamentos desnecessários. A capital chinesa realizará em breve os Jogos Olímpicos de Inverno, que tem previsão para começar em 4 de fevereiro de 2022. Nas últimas 24 horas, a China detectou 39 novos casos de Covid-19, além de 100 na última semana, a maioria ligados a deslocamentos de viajantes, o que levou o governo a aumentar a atenção sobre um aumento do espalhamento do vírus. Em Ejin (Mongólia Interior), 35 mil pessoas foram confinadas a partir por duas semanas. Em Lanzhou, serviços de ônibus e táxi foram suspensos, e houve fechamento das atrações turísticas.

O governo chinês adota uma política de ‘tolerância zero’ com o vírus após a China ser considerada o primeiro epicentro da pandemia no mundo, em janeiro e fevereiro de 2020. As principais estratégias são os confinamentos localizados quando há surgimento de casos numa região, com um rígido controle de fronteiras, e testagem em massa; segundo dados oficiais do governo chinês, mais de um bilhão de pessoas já foram vacinadas no país. Além disso, quem vem de uma região com surto ativo de Covid-19 dentro do país deverá apresentar um teste negativo para entrar na capital. No domingo (24), as autoridades já haviam anunciado a suspensão das viagens turísticas organizadas a áreas onde casos de Covid-19 foram registrados, incluindo Pequim.