China alega que novo coronavírus foi detectado primeiro em outros países

Para se defender das acusações de ter sido responsável pela pandemia, a nação asiática tem levantado a hipótese de que o Sars-CoV-2 chegou à Wuhan por meio de produtos importados do exterior

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2021 14h32 - Atualizado em 19/01/2021 14h41
EFE/EPA/WU HONGUma equipe da OMS foi enviada à China para investigar as origens da pandemia do novo coronavírus

O Ministério das Relações Exteriores da China relembrou que o novo coronavírus foi detectado em diversos países entre setembro e novembro de 2019, antes de o país reportar um surto de Covid-19 na cidade portuária de Wuhan. Entre essas nações estariam a Austrália e a Itália. A reiteração foi feita pela porta-voz Hua Chunying ao ser questionada pela imprensa local sobre a possibilidade do Sars-Cov-2 ter se originado no exterior. No entanto, ela evitou afirmar categoricamente que o novo coronavírus surgiu fora da China, limitando-se a dizer que “a posição oficial do governo chinês é que rastrear a origem é uma questão científica muito séria”. “Devemos contar com os cientistas e especialistas médicos para chegar a uma conclusão baseada na ciência e nos fatos”, completou Hua.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores também aproveitou a ocasião para rebater as críticas de que a China teria demorado para reportar a nova variante do coronavírus, exemplificando que, apesar de ter detectado o vírus em setembro de 2019, o Reino Unido só fez um anúncio oficial a respeito em dezembro de 2019. Hua acrescentou que existem muitas “teorias da conspiração contra a China”. Enquanto isso, uma equipe designada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) está no país para investigar os origens da pandemia.

*Com informações da EFE