Chuvas torrenciais deixam mais de 40 mortos na Europa

Alemanha, Bélgica e Holanda foram países mais afetados; algumas regiões, registraram em dois dias o equivalente de água esperada para dois meses

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2021 10h52 - Atualizado em 15/07/2021 11h36
EFE/EPA/SASCHA STEINBACHPelo menos 30 pessoas morreram por causa das chuvas na Alemanha

Pelo menos 44 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas após chuvas fortes inundarem regiões da Alemanha, Bélgica e Holanda nesta quarta-feira, 14. A estimativa é que o equivalente a dois meses de chuva tenha atingido áreas dos países desde a terça-feira, 13, causando desabamentos, alagamentos e mobilizando centenas de socorristas para resgate de vítimas. Entre os mortos estão dois bombeiros que faziam operações de resgate no estado de Renânia do Norte-Vestfália, mais populoso da Alemanha. Segundo agências de notícias locais, o país ainda registrou oito mortos na cidade de Euskirchen e 18 no condado vizinho, Ahrweiler. Uma das ocorrências mais graves foi em Schuld in der Eifel, onde 70 pessoas estão desaparecidas após desabamentos de casas durante a madrugada. “Nunca vimos um desastre de tamanha magnitude. É devastador”, afirmou Malu Dreyer, membro do parlamento alemão, em reunião com outros políticos nesta quinta-feira.

Na Bélgica, onde quatro pessoas morreram, o transbordamento de um rio causou enxurradas em ruas e o desabastecimento de energia na região de Pepinster. Na Holanda, rodovias movimentadas foram fechadas após alagamentos e um grupo de turistas precisou ser resgatado no telhado de um resort submerso pelas águas. Autoridades dos países acreditam que o número de mortos pode aumentar após o nível das águas descer. Os danos causados a estruturas comerciais e a prédios governamentais também só deve ser medido nos próximos dias. Segundo o serviço meteorológico da França, as chuvas na região atingida nos últimos dois dias devem diminuir nesta quinta-feira, 15. As chuvas intensas ocorrem no mesmo período em que o norte da Europa registra altas temperaturas, com a Finlândia batendo recorde anual de 24ºC.