Combinação das vacinas de Oxford e Pfizer gera forte resposta imune à Covid-19, diz estudo

Pesquisa feita pela Universidade de Oxford analisou resposta imune de voluntários com intervalo de quatro semanas entre as duas doses

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 13h43 - Atualizado em 30/06/2021 14h53
EFE/EPA/VICTORIA JONES / POOL - 09/12/20Estudo da Universidade de Oxford testa reação imunológica de voluntários a doses de vacinas diferentes

Uma pesquisa liderada pela universidade de Oxford afirmou nesta terça-feira, 30, que misturar doses das vacinas da Pfizer e de Oxford/AstraZeneca gera uma “forte resposta imune” contra a Covid-19. Pesquisadores analisaram os efeitos da aplicação da vacina em 830 voluntários com 50 anos ou mais no Reino Unido e testou quatro tipos diferentes de combinações dos imunizantes. O resultado foi que aqueles que receberam a primeira dose da AstraZeneca e, quatro semanas depois, receberam a segunda dose da vacina de Pfizer tiveram uma melhor resposta imune do que aqueles que tomaram apenas as duas doses da vacina da AstraZeneca. Segundo a universidade, quando a ordem dos imunizantes foi invertida, o resultado da resposta imune também foi positivo.

“Nossa vacinação sem a mistura de doses já salvou milhares de vidas no Reino Unido, mas agora sabemos que misturar as doses pode nos dar ainda maior flexibilidade para programas de imunização, além de ajudar países que estão com dificuldades de abastecimento”, afirmou, em comunicado à imprensa, o professor Matthew Snape, um dos responsáveis pela análise de dados. Agora, os pesquisadores aguardam para saber a resposta imune daqueles que forem vacinados com doses diferentes em um intervalo de 12 semanas, período mais comum nos programas de vacinação mundiais. Além das vacinas de Oxford e da Pfizer, a reação de voluntários às vacinas da Moderna e da Novavax também é analisada em outros estudos, mas o resultado destas ainda não foi divulgado pela instituição de ensino.