Crianças e jovens representam a maior taxa de prevalência da Covid-19 na Inglaterra

O índice, no entanto, caiu em todas as faixas etárias a uma taxa semelhante, sugerindo que as tendências de queda se devem ao lockdown e não ao impacto da vacinação, aponta a Imperial College

  • Por Jovem Pan
  • 18/02/2021 15h50 - Atualizado em 18/02/2021 16h38
EFE/EPA/NEIL HALL - 05/01/2021Inglaterra registou queda no número de casos da Covid-19, mas as infecções ainda são altas

Os últimos dados da pesquisa “React 1” realizada pela Imperial College, na Inglaterra, mostram que crianças e jovens representam a maior taxa de prevalência da Covid-19 no país. O levantamento é resultado de testes Swab feitos em casa por quase 85.000 britânicos entre 4 e 13 de fevereiro. O índice, no entanto, mostra que houveram quedas substanciais na maioria das áreas da Inglaterra desde janeiro. Em Londres, por exemplo, a taxa de prevalência passou de 2,83% para 0,54%. O número de testes positivos caiu em todas as faixas etárias. Em pessoas com 65 anos ou mais, a probabilidade passou de 0,93% para 0,30%. Em crianças e jovens de 5 a 12 anos e 18 a 24 anos, a taxa de prevalência de infecção foi maior: de 0,86% (ante 1,59%) e 0,89% (ante 2,44%), respectivamente.

“A prevalência da infecção caiu em todas as idades, a uma taxa semelhante, sugerindo que as tendências de queda se devem ao lockdown e não ao impacto da vacinação”, aponta a pesquisa. No geral, o levantamento registrou que o número de pessoas infectadas com o coronavírus caiu em mais de dois terços na Inglaterra desde janeiro, mas as infecções ainda são altas: cerca de 1 em 200 britânicos testa positivo para o vírus. “Embora os casos e as internações hospitalares permaneçam elevados, é vital que todos nós permaneçamos vigilantes e sigamos as regras à medida que nosso a vacinação continua em ritmo acelerado”, diz o secretário de Saúde Matt Hancock.