Dois policiais são presos após agredirem homem negro em Paris

No total, quatro agentes da polícia francesa foram acusados por cometer violência, sendo que três também teriam mentido em depoimento

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2020 13h12 - Atualizado em 30/11/2020 15h39
EFE/EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSONNo sábado, manifestantes carregaram bandeiras que diziam "a polícia mata" e a "polícia assassina" durante protesto em Paris

Nesta segunda-feira, 30, dois policiais foram presos preventivamente por terem agredido o produtor musical negro Michel Zecler em Paris. Outros dois agentes foram indiciados pelo crime, que aconteceu no dia 21 de novembro e foi registrado por câmeras de segurando do estúdio onde a vítima trabalha. Os quatro policiais já tinham sido afastados dos seus cargos depois que o presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou estar “consternado” com o vídeo e pediu que medidas fossem tomadas. Um agente foi acusado de “violência”, enquanto outros três foram acusados por “violência voluntária e intencional” e por “mentir em depoimento escrito”.

O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostram o momento em que Michel Zecler começou a ser espancado pelos agentes dentro do seu próprio local de trabalho. Os policiais afirmam que chamaram a atenção do cidadão por ele estar caminhando na rua sem utilizar máscara e alegam que, depois disso, foram “arrastados” pelo produtor para dentro do estúdio musical. Zecler, por sua vez, conta que foi chamado de “crioulo sujo” e “negro de merda” pelos agressores.

*Com informações de agências internacionais