Dono de boate no Peru é criticado por autoridades após 13 mortes: ‘Inescrupuloso’

Em comunicado, o Ministério do Interior atribuiu as mortes à ‘irresponsabilidade criminosa de um empresário inescrupuloso’

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2020 22h33 - Atualizado em 23/08/2020 22h34
Reprodução/Twitter13 pessoas foram mortes após fuga de boate no Peru

Autoridades do governo do Peru condenaram o dono de uma boate, depois que pelo menos 13 pessoas morreram pisoteadas ou asfixiadas enquanto frequentadores tentavam sair de uma festa invadida pela polícia por violar as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. Pelo menos seis pessoas ficaram feridas, incluindo três policiais, enquanto cerca de 120 tentavam escapar do clube Thomas Restobar no distrito de Los Olivos, em Lima, na noite desse sábado (22). A polícia chegou para interromper o evento, que havia sido relatado por vizinhos, informaram a polícia nacional e autoridades do governo. As pessoas ficaram presas entre a única porta de entrada e uma escada que conduzia à rua, disseram as autoridades.

O Peru determinou o fechamento de boates e bares em março e proibiu reuniões de família em 12 de agosto, para combater o segundo maior índice de infecção de Covid-19 da América Latina. Um toque de recolher aos domingos também está em vigor. Em comunicado, o Ministério do Interior atribuiu as mortes à “irresponsabilidade criminosa de um empresário inescrupuloso”. A ministra da Mulher do Peru, Rosario Sasieta, pediu penalidades severas para a administração do clube que organizou o evento.

*Com informações da Agência Brasil