Enfermeira é a primeira a receber vacina contra Covid-19 em Nova York

Sandra Lindsay, que trabalha na UTI de um hospital da cidade, foi uma das primeiras pessoas em todo o país a receber uma dose do imunizante desenvolvido pela Pfizer com a BioNTech

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2020 11h50 - Atualizado em 14/12/2020 12h25
Reprodução Youtube BC7 New YorkApós receber a primeira dose da vacina, a enfermeira afirmou que espera que seu gesto incentive as pessoas a também se vacinarem contra a Covid-19

Os Estados Unidos já iniciaram sua campanha de vacinação em massa contra a Covid-19. A enfermeira Sandra Lindsay foi uma das primeiras pessoas a receber uma dose do imunizante nesta segunda-feira, 12, durante uma transmissão ao vivo. A mulher, que trabalha na Unidade de Terapia Intensiva do Centro Médico Judaico de Long Island, em Nova York, trata pacientes contaminados pelo novo coronavírus. Após receber a vacina, ela agradeceu a todos os profissionais de saúde do mundo e às pessoas pelas ações individuais de combate à doença. As autoridades locais ainda não confirmaram se ela de fato foi a primeira do país a receber a vacina desenvolvida pela Pfizer com a BioNTech. De qualquer forma, o presidente Donald Trump comemorou o evento em seu perfil oficial no Twitter, onde escreveu “Primeira vacina administrada. Parabéns, EUA! Parabéns, mundo!”.

Nessa semana inaugural da campanha, três milhões de doses devem ser distribuídas prioritariamente para profissionais de saúde, funcionários de asilos e idosos. As primeiras levas da vacina contra a Covid-19 deixaram a fábrica da Pfizer em Michigan na manhã de domingo, 13. Elas foram armazenadas em caixas com gelo seco especialmente desenvolvidas para manter temperaturas abaixo de -70 ºC. Segundo as autoridades federais, 145 centros de distribuição receberão o imunizante nesta segunda-feira, enquanto 425 receberão na terça-feira e 66, na quarta-feira.

No entanto, uma pesquisa realizada pelo Pew Research em novembro indica que quatro em cada dez norte-americanos ainda dizem que não pretendem se vacinar contra a Covid-19. Deste grupo, dois admitem tomar sua dose depois que outros o façam. Por esse motivo, os ex-presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton se ofereceram para receber o imunizante em público para provar que ele é seguro.