Estados Unidos receberão 125 mil refugiados por ano, decreta Biden

O número tinha sido reduzido a um mínimo recorde pelo ex-presidente Donald Trump; quantidade de deslocados que serão recebidos pelo país é maior do que o do governo Obama

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2021 13h11
EFE/EPA/JIM LO SCALZOEm discurso, Biden falou sobre os Estados Unidos "motivarem" outras nações a abrirem suas portas também

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira, 5, que aumentará para 125 mil o número de refugiados que o país recebe a cada ano. “Hoje estou aprovando uma ordem executiva para iniciar o trabalho duro de restaurar nosso programa de admissão de refugiados para ajudar a atender a uma necessidade global sem precedentes”, declarou em discurso. O democrata estava se referindo indiretamente ao governo do seu antecessor Donald Trump, que diminuiu essa quantidade a 15 mil, a mais baixa desde que a lei que regulamenta a proteção entrou em vigor em 1980. Durante o seu mandato, o republicano justificou que os estrangeiros eram “um fardo e uma ameaça” para a segurança nacional.

Em fala quase oposta, Biden ressaltou a importância de acolher essas pessoas. “Nós acendemos a luz da lâmpada da liberdade sobre as pessoas oprimidas, oferecemos abrigo seguro para aqueles que fogem da violência ou perseguição, e nosso exemplo motiva outras nações a abrirem suas portas também”, considerou. O número de 125 mil está acima até mesmo dos dados do governo de Barack Obama (2009 a 2017), de quem Biden foi vice-presidente. Na época, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos abriu as portas para cerca de 85 mil pessoas em 2016 e cerca de 110 mil em 2017.

*Com informações da EFE