EUA confirmam que China realizou testes com armas hipersônicas

Mísseis são projetados para viajar mais de cinco vezes a velocidade do som em uma trajetória de voo que os torna mais difíceis de serem detectados e interceptados

  • Por Jovem Pan
  • 28/10/2021 11h52
Rod Lamkey/Pool via REUTERSMark Milley comparou o momento com o lançamento do Sputnik durante a Guerra Fria

O principal general do Pentágono, Mark Milley, confirmou na quarta-feira, 27, que a China realizou testes com armas hipersônicas entre julho e agosto deste ano. É a primeira vez que os Estados Unidos assumem oficialmente que os chineses estão desenvolvendo armamentos que podem escapar das defesas antimísseis norte-americanas. Segundo Milley, os estudos estão “muito perto” de um momento Sputnik – referindo-se a 1957, durante a Guerra Fria, quando a Rússia superou os EUA com o lançamento do primeiro satélite terrestre e assumiu a ponta da corrida espacial. “O que vimos foi um evento muito significativo de um teste de um sistema de armas hipersônicas. E é muito preocupante”, disse o general à Bloomberg TV. “Não sei se é um ‘momento Sputnik’, mas acho que está muito perto disso”, acrescentou.

De acordo com o jornal alemão DW, os mísseis hipersônicos são projetados para viajar mais de cinco vezes a velocidade do som em uma trajetória de voo que os torna mais difíceis de serem detectados e interceptados. Os Estados Unidos já realizaram testes com armas hipersônicas, assim como a Coreia do Norte, porém apenas a China conseguiu ter fazer com que a tecnologia tivesse longo alcance. Conforme noticiado pelo Financial Times, jornal britânico que revelou os estudos chineses, a arma com capacidade nuclear que orbitou a Terra antes de reentrar na atmosfera e finalmente perder seu alvo de teste na China.