EUA iniciam deportação em massa de haitianos que buscavam refúgio no país

Três voos de repatriação partiram da cidade de San Antonio, no Texas, no domingo, e outros seis nesta segunda-feira, 20

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2021 16h12 - Atualizado em 20/09/2021 17h24
EFE/EPA/ALLISON DINNERPelo menos 13 mil haitianos se concentram em cidade no Texas após cruzar fronteira com do México com os EUA

Três voos com imigrantes haitianos que tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos pela fronteira com o México chegaram à cidade de Porto Príncipe neste domingo, 19, poucas horas após o governo de Joe Biden anunciar que aumentaria o número de aeronaves de deportação para tentar conter a crise no estado. Ao todo, mais de 13 mil pessoas vindas do país estão em um acampamento improvisado sob uma ponte na cidade de Del Rio para tentar fugir da crise política e humanitária no Haiti. A expectativa dos EUA é fazer com que todos voltem para casa em uma das maiores expulsões em larga escala nas últimas décadas. Os três primeiros voos do domingo “devolveram” ao Haiti 320 pessoas; nesta segunda, a previsão é de que pelo menos mais seis aeronaves saiam da cidade de San Antonio em direção à América Central.

A partir de terça-feira, os EUA devem fazer sete voos de expulsão diários: quatro deles com destino a Porto Príncipe e três para a região do Cabo Haitiano. Segundo o jornal The Guardian, parte das pessoas que chegaram ao país no domingo se aglomeraram em filas no aeroporto para receber um prato de comida. A representante do Escritório Nacional de Migração, Marie-Lourde Jean-Charles, afirmou que todos os que chegam são testados para Covid-19 e recebem US$ 100 (equivalente a R$ 540) para voltar para casa. Além dos EUA, o governo do México afirmou no domingo, 19, que também vai deportar haitianos. Os voos devem partir de cidades próximas à fronteira com os EUA e à fronteira com a Guatemala.