Facebook e Instagram mantêm suspensão de perfis de Donald Trump

No entanto, decisão de Mark Zuckerberg de banir o ex-presidente ‘indefinidamente’ foi considerada uma ‘penalidade sem padrão’ e deverá ser revista em um prazo de seis meses

  • Por Jovem Pan
  • 05/05/2021 11h02 - Atualizado em 05/05/2021 18h54
EFE/EPA/STEFANI REYNOLDS/ POOL - 20/01/2021 Nos últimos meses, Donald Trump tem utilizado o seu próprio site oficial para fazer pequenas postagens em formato semelhante ao do Twitter

O conselho independente do Facebook e do Instagram decidiu nesta quarta-feira, 5, que Donald Trump permanecerá bloqueado das duas redes sociais. No entanto, uma revisão deverá ser feita pela própria administração da empresa nos próximos seis meses para decidir se o congelamento será mantido ou não, visto que a decisão do presidente Mark Zuckerberg de bani-lo “indefinidamente” foi considerada uma “penalidade indeterminada e sem padrão”. “O Conselho insiste que o Facebook analise este assunto para determinar e justificar uma resposta proporcional que seja consistente com as regras que são aplicadas a outros usuários de sua plataforma. O Facebook deve concluir sua análise deste assunto no prazo de seis meses a partir da data desta decisão”, afirma o comunicado. Dessa forma, continua em aberto se o ex-presidente dos Estados Unidos, que tinha 35 milhões de seguidores no Facebook e 24 milhões no Instagram, será capaz de recuperar o acesso a esses importantes canais de contato com os seus apoiadores. Ele já insinuou que deve se candidatar novamente à Casa Branca em 2024.

As redes sociais suspenderam as contas de Donald Trump há quatro meses atrás, por temores de que ele pudesse provocar ainda mais ondas de violência e inquietação após a invasão ao Capitólio por uma multidão de apoiadores no dia 6 de janeiro. Na época, Zuckerberg justificou que os riscos de permitir que Trump continuasse usando a plataforma eram “simplesmente grandes demais”. Mais tarde, a empresa pediu ao seu conselho para revisar a proibição e criar recomendações gerais sobre como essas mídias devem tratar os conteúdos produzidos por grandes líderes mundiais. O grupo composto por 20 acadêmicos, especialistas em política e em direitos civis é financiado pelo Facebook, mas independente da empresa e detentor do poder de dar a palavra final sobre decisões de moderação. Enquanto alguns defendem que o ex-presidente seja banido permanentemente por desrespeito às regras, outros argumentam que o tratamento de Trump equivale a censura e uma restrição perigosa à liberdade de expressão, além de ilustrar o poder significativo que a empresa acumulou.

Trump faz postagens dentro do seu site oficial

Além de estar impedido de utilizar o Facebook e o Instagram, Donald Trump foi banido de forma permanente do Twitter e em caráter temporário do YouTube. No entanto, ele vem fazendo pequenas postagens em uma plataforma batizada de “From the desk of Donald J. Trump”, que está inserida dentro do seu site oficial e segue um formato semelhante ao do Twitter. As publicações podem, inclusive, ser compartilhadas nas redes sociais que baniram o ex-presidente, mas não há contagem de seguidores e nem meios de interação direta. Ali foi lançado nesta quarta-feira, 4, um vídeo promocional da própria plataforma.