Homem tenta usar braço falso de silicone para evitar vacinação na Itália

País europeu vai exigir apresentação de passaporte sanitário para entrada em bares e restaurantes a partir da próxima segunda-feira, 6

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2021 15h09
EFE/EPA/SANDER KONINGHomem foi denunciado ao Ministério Público do país após tentar fugir da vacinação

Um homem, de 50 anos, foi acusado de tentar ser vacinado usando um braço falso de silicone para conseguir obter o passaporte sanitário da Covid-19 na localidade de Biella, no norte da Itália. A informação foi divulgada pela imprensa do país europeu nesta sexta-feira, 3. De acordo com denúncia feita à polícia, o indivíduo compareceu a um centro de vacinação na quinta-feira, 2. A enfermeira Filippa Bau, que faria a aplicação, percebeu que ele mostrava um braço com silicone muito parecido com a pele, que ia do ombro até o músculo deltoide, onde a injeção é dada. Inicialmente, a profissional de saúde acreditou que se tratava de uma pessoa amputada, que havia mostrado o braço errado. Para não o colocar em situação constrangedora, a enfermeira pediu para que ele mostrasse o outro, conforme ela explicou ao jornal italiano “Corriere della Sera“.

Bau, no entanto, percebeu que o homem apresentou um braço de silicone “exatamente igual ao outro”, o que a fez perceber que se tratava de uma tentativa de fraude, para que a vacina fosse aplicada em um braço falso. “Me dei conta que o homem que tinha diante de mim estava tentando fugir da vacinação, mediante uma prótese, em que esperava que eu, sem saber disso, injetasse o medicamento,” explicou a enfermeira. Assim que foi descoberto, o acusado tentou convencer a enfermeira a fazer “vista grossa” e seguir com a farsa, mas ela se negou e relatou o caso aos superiores. O homem acabou admitindo que tentou enganar a equipe do centro de vacinação para conseguir o novo passaporte da Covid-19, que recebe as pessoas vacinadas ou que já superaram a doença. A partir de segunda-feira, 6, o documento será obrigatório para que cidadãos e visitantes do país tenham acesso a bares, restaurantes, boates e outros estabelecimentos de lazer e prédios públicos. O homem que tentou receber a vacina em braço falso foi denunciado ao Ministério Público.

*Com informações da EFE