Hong Kong vai sacrificar mais de 2 mil hamsters após casos de Covid-19 entre roedores

Autoridades pediram que população entregue para abatimento os animais adquiridos após o dia 22 de dezembro

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2022 14h23
Bertha WANG/AFP Homem segurando rato Foram detectadas 11 amostras positivas entre hamsters à venda em loja de animais

A cidade de Hong Kong decidiu sacrificar centenas de hamsters como medida de combate ao coronavírus. A ação veio após roedores de uma loja de animais da cidade testarem positivo para a Covid-19 e, em sequência, uma funcionária e um cliente do comércio se infectarem. Inicialmente, foram detectadas 11 amostras positivas entre os hamsters à venda na loja, localizada no distrito comercial de Causway Bay. Ao todo, cerca de 2 mil animais serão sacrificados. Segundo a secretária da Saúde, Sophia Chan, a decisão pretende preservar a saúde pública local, que adota a estratégia ‘zero covid’. 

“Internacionalmente, não há evidências de que os animais transmitam o coronavírus aos humanos, mas tomaremos medidas de precaução contra qualquer vetor de transmissão”, explicou Chan em entrevista coletiva. As autoridades acreditam que os animais foram importados da Holanda e pediram a aqueles que compraram um hamster depois de 22 de dezembro que entreguem o animal para ser sacrificado. Cerca de mil animais da loja serão sacrificados, enquanto a equipe e clientes foram submetidos a testes.

*Com informações da AFP