Ignorando aviso da OMS, Alemanha, Israel e França darão terceira dose de vacina contra a Covid-19

Organização fez um apelo para que o estoque atual de imunizantes seja usado para os países pobres, que mal começaram a cobrir a população com a primeira aplicação

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2021 12h38 - Atualizado em 05/08/2021 19h22
Walterson Rosa/MSIsrael já começou a aplicar a terceira dose na população idosa que completou o esquema vacinal há cinco meses

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu uma “interrupção global” na aplicação da dose de reforço. A organização fez um apelo para que o estoque atual de vacinas contra a Covid-19 seja usado para os países pobres, que mal começaram a cobrir a população com as primeiras doses. Alguns países como Israel, Alemanha e França, no entanto, já incluíram a terceira dose do imunizante em seus calendários de vacinação. Os países pretendem fortalecer a imunidade da população para conter a disseminação da variante Delta, primeiramente identificada na Índia e mais transmissível do que a forma original do coronavírus. Em Israel, a terceira dose começou a ser administrada em quem tem mais de 60 anos e recebeu a segunda dose há pelo menos cinco meses.

Segundo o The New York Times, a Alemanha também pretende aplicar o reforço, a partir de setembro, em idosos, residentes em lares e pessoas com sistema imunológico comprometido. No meio de julho, o presidente francês Emmanuel Macron já havia proposto doses de reforço para “pessoas vacinadas pela primeira vez em janeiro e fevereiro”. O mandatário da França não havia deixado claro se a medida engloba toda a população ou apenas os vulneráveis. De acordo com o jornal local France 24, a informação foi esclarecida pelo chefe do Conselho de Vacinas da França, Alain Fischer na última segunda-feira, 2. No país, a terceira dose será dada aos “frágeis” e “mais velhos” a partir do início do outono.