Inglaterra tem ‘Dia da Liberdade’ com suspensão de restrições contra a Covid-19

País europeu acabou com obrigatoriedade de máscaras e limitação de público em eventos a partir desta segunda-feira, 19; casos do novo coronavírus continuam a subir

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2021 13h32 - Atualizado em 19/07/2021 18h50
EFE/EPA/FACUNDO ARRIZABALAGAObrigatoriedade do uso de máscaras foi suspensa na Inglaterra

A Inglaterra registrou nesta segunda-feira, 19, o fim de quase todas as medidas de isolamento social adotadas para evitar a Covid-19. O “Freedom Day” (Dia da Liberdade em português) marca o término da obrigatoriedade de máscaras; da regra de distanciamento social de pelo menos um metro entre pessoas (medida que continua a valer apenas para hospitais); a abertura de bares, restaurantes e casas noturnas e o fim do limite de pessoas em qualquer evento realizado no país, inclusive em estádios de futebol. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, que está em isolamento social após ter entrado em contato com uma pessoa contaminada, reforçou que a retirada das barreiras sanitárias não quer dizer que o coronavírus acabou no país. Johnson deve realizar uma coletiva de imprensa online para falar sobre o assunto ainda nesta segunda.

Segundo dados do governo, 2/3 da população do país está com a vacinação completa contra a Covid-19. A variante Delta, mais contagiosa e responsável pela maioria das infecções locais, fez a média de casos subir. Hoje, diariamente, 45 mil são contaminados. A média diária de mortes, que era de 6 em maio, passou para 42 de acordo com último boletim epidemiológico. O término das restrições iniciado nesta segunda vale apenas para a Inglaterra, já que os outros países do Reino Unido adotaram seus próprios esquemas para lidar com a Covid-19. Até o momento, viajantes de outras nacionalidades precisam passar por testagem ao chegar ao país. As restrições de funcionamento de escolas e a obrigatoriedade de home office para algumas funções serão suspensas no dia 16 de agosto.