Internautas acusam Google de tirar Palestina do Maps, mas região nunca esteve identificada

Google Maps recebeu críticas na internet por não reconhecer o Estado da Palestina; questão já é debatida há anos

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2020 15h00
Reprodução/Google MapsA Palestina nunca esteve identificada no Google Maps

Internautas estão usando as redes sociais desde esta quarta-feira (15) para protestar contra o Google por supostamente ter tirado a Palestina do Google Maps. O estado, no entanto, nunca esteve identificado na plataforma, o que gera discussão há pelo menos quatro anos. Nas últimas horas, usuários do Twitter estão compartilhando mensagens que mostram que o site de fato não identifica a região da Palestina no mapa e acusam a companhia de tentar “apagar” o Estado. O Maps mostra apenas áreas tracejadas que indicam as regiões de Gaza e da Cisjordânia.

Apesar do recente burburinho em torno da questão, o assunto é discutido há anos. Em 2016, um grupo de jornalistas palestinos divulgou uma carta contra o Google pedindo para que a região fosse devidamente identificada no Maps. Na época, uma porta-voz da empresa disse que a Palestina nunca havia sido identificada, mas um bug havia apagado as indicações da Faixa de Gaza e da Cisjordânia. O Google ainda não se pronunciou sobre as recentes reclamações.

Localizada no Oriente Médio, a Palestina fica entre o Mar Mediterrâneo e o Rio Jordão e reivindica soberania sobre a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Há décadas, há uma disputa territorial entre Palestina e Israel, principalmente em relação à cidade de Jerusalém. A Palestina é reconhecida por 183 países-membro da Organização das Nações Unidas (ONU), mas os Estados Unidos, por exemplo, não a reconhecem. O Brasil está entre os países que reconhecem o Estado.