Irã e EUA disputam quem deve voltar a cumprir acordo nuclear primeiro

Enquanto o governo iraniano exige a retirada das sanções, a Casa Branca demanda que, antes, o país do Oriente Médio deixe de enriquecer urânio acima da pureza e quantidades permitidas

  • Por Bárbara Ligero
  • 29/01/2021 12h58
EFE/EPA/Doug Mills / POOL Joe Biden está pressionando o Irã a cumprir o acordo nuclear antes de retirar as sanções contra o país

Bastou uma conversa telefônica para que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, conseguisse entrar em acordo com o chefe de governo da Rússia, Vladmir Putin, sobre o New START. Estendido por mais cinco anos, o pacto nuclear limita em 1.550 o número de ogivas permitidas nos dois países. As negociações com o Irã, no entanto, não estão acontecendo com a mesma agilidade, o que sinaliza que o democrata não pretende ser tão permissivo com o país do Oriente Médio.

Em 2015, o ex-presidente Barack Obama e o presidente Hassan Rohani assinaram um pacto que estabelecia que os Estados Unidos não imporiam sanções econômicas ao Irã, que em contrapartida deveria limitar o seu programa nuclear. Em 2018, no entanto, o também ex-presidente Donald Trump rompeu com o tratado e voltou a sancionar a nação persa, que respondeu enriquecendo urânio acima da pureza e das quantidades permitidas. A expectativa, agora, é que o governo de Joe Biden resolva a questão.

Em seu primeiro dia como secretário de Estado, Antony Blinken afirmou que os Estados Unidos retornarão ao acordo nuclear quando o Irã fizer a sua parte. “O Irã não está cumprindo com suas obrigações em várias frentes. E levará algum tempo, se decidir fazê-lo, para cumprir com suas obrigações novamente e para que avaliemos se está fazendo isso”, afirmou nesta quarta-feira, 27, durante coletiva de imprensa.

Por outro lado, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammed Javad Zarif, deixou claro que espera que os Estados Unidos deem o primeiro passo em direção a uma reconciliação, retirando antes as sanções que afetam principalmente as exportações de petróleo. “O novo governo dos Estados Unidos exige que o Irã volte ao acordo, o que não faz sentido. Quem abandonou o pacto deve voltar a ele; sempre fizemos parte dele. Os Estados Unidos abandonaram o acordo unilateralmente e agora é obrigação dos Estados Unidos retornar e cumprir seus compromissos. Assim que o fizer, cumpriremos os nossos”, disse nesta sexta-feira, 29.