Israel oferece ajuda humanitária para o Líbano após explosão em Beirute

Autoridades do país lamentaram o incidente por meio das redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2020 17h50
EFE/EPA/WADEL HAMZEHExplosão deixou rastro de destruição em região portuária de Beirute

Mesmo sem ter relações diplomáticas com o Líbano, Israel juntou-se à lista de países que oferecem ajuda humanitária ao país árabe após a explosão ocorrida na tarde desta terça, no porto de Beirute, que deixou mais de 50 mortos e 2,7 mil feridos.

O Ministério da Defesa de Israel informou que entrou em contato com o governo do Líbano por meio de “canais diplomáticos e de segurança nacional” e ofereceu “ajuda médica humanitária” e “assistência imediata”. A iniciativa é liderada pelos ministros da Defesa, Benny Gantz, das Relações Exteriores, Gabi Ashkenazi, e coloca Israel em uma longa lista de países e organizações internacionais que ofereceram assistência ao Líbano, que além dos danos sofridos por conta da explosão, vive uma profunda crise econômica.

Yair Lapid, líder da oposição ao governo de Benjamin Netanyahu, comentou a explosão em uma mensagem publicada em inglês e árabe nas redes sociais. Ele manifestou “profundas condolências aos moradores de Beirute neste momento difícil” e afirmou desejar “uma rápida recuperação a todos os feridos”.

O presidente israelense, Reuven Rivlin, também prestou seu apoio em seu perfil. “Compartilhamos a dor do povo libanês e, sinceramente, oferecemos nossa ajuda neste momento difícil”, declarou.

Segundo relatos da imprensa israelense, políticos e profissionais de segurança locais descartam envolvimento ou responsabilidade do país na explosão. O esclarecimento responde a especulações que ligavam o incidente ao contexto de tensão entre Israel e o Hezbollah. Na semana passada, o exército israelense efetuou disparos sobre o que descreveu como um “comando do Hezbollah” que atravessou a fronteira armado e retornou ao Líbano após uma troca de tiros sem baixas.

* Com EFE