Israel retoma uso obrigatório de máscaras após alta de casos de Covid-19

Medida vale para locais fechados, mas isenta menores de sete anos e pessoas com deficiência da obrigatoriedade; Israel registrou 227 novos casos da doença em 24 horas

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2021 11h30
EFE/EPA/ABIR SULTAN/Archivo Medida valerá para locais fechados

Com mais da metade da população total vacinada contra a Covid-19, o governo de Israel anunciou nesta sexta-feira, 25, que vai retomar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados após registrar aumento no número de contaminações pela doença. O Ministério da Saúde local afirmou que renovou a obrigatoriedade após registro de mais de 227 novos casos da doença em 24 horas, maior marca em quase três meses. Estão isentos da obrigatoriedade as crianças menores de sete anos, pessoas com deficiência que não consigam usar o equipamento de segurança, pessoas que estejam sozinhas em um espaço fechado, quem esteja praticando exercícios físicos e o número máximo de dois colegas de trabalho que dividam o mesmo ambiente periodicamente.

O ministério também sugeriu que as máscaras fossem usadas em aglomerações em massa realizadas ao ar livre, como a Parada Gay de Tel Aviv, marcada para esta sexta-feira, 25, e pediu que aqueles que ainda não foram vacinados evitem reuniões. Segundo dados do Our World In Data, Israel é o país com maior porcentagem populacional vacinada do mundo, com 56,9% do total de moradores com imunização completa. Ao todo, mais de 10,7 milhões de doses foram aplicadas pela nação até o momento. O país anunciou o encerramento de todas as restrições contra a Covid-19 no fim de maio, quando relatava uma média de 12 novos casos da doença por dia. No ápice da pandemia, mais de 10 mil casos diários eram registrados.