Itália revoga quarentena para alguns viajantes estrangeiros, mas mantém restrições ao Brasil

A partir de domingo, 16, turistas vindos da União Europeia, Reino Unido e Israel deverão apresentar apenas resultado negativo para um teste de Covid-19 para entrar no país

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2021 13h16 - Atualizado em 14/05/2021 17h25
EFE/EPA/EMANUELE VALERIDesde o mês passado, restaurantes voltaram a servir clientes em ambientes ao ar livre nas zonas de fase amarela na Itália

O governo da Itália anunciou nesta sexta-feira, 14, que revogará a exigência de quarentena para viajantes estrangeiros vindos da União Europeia, Reino Unido e Israel, desde que eles apresentem resultado negativo para um teste de Covid-19. Antes, pessoas que viajavam desses países precisavam fazer dois exames para detectar o novo coronavírus e ainda permanecer cinco dias em isolamento. A medida, que entra em vigor neste domingo, 16, visa atrair turistas durante a temporada de verão, que se inicia em junho no Hemisfério Norte. O governo italiano também planeja permitir a entrada de viajantes dos Estados Unidos, Canadá e Japão sem a obrigatoriedade de cumprir quarentena caso eles tenham sido vacinados contra a Covid-19. No entanto, as restrições atualmente vigentes para passageiros vindos do Brasil foram mantidas. O primeiro-ministro Mario Draghi defendeu que o retorno dos turistas é crucial para a recuperação da Itália, que é a terceira maior economia da zona do euro e foi um dos países europeus mais atingidos pela pandemia. No mês passado, todas as regiões da nação que estão na fase amarela de restrições puderam reabrir os seus cafés e restaurantes para serviços ao ar livre. Os museus e cinemas também voltaram a funcionar, apesar do toque de recolher às 22h continuar em vigor por toda a Itália. O país de 60 milhões de habitantes já vacinou completamente 8 milhões.