Justiça dos EUA condena primeira pessoa envolvida em invasão ao Capitólio

Juiz federal condenou Paul Allard Hodkings, morador da Flórida, a oito meses de prisão; ele se considerou culpado e teve pena reduzida pela confissão do crime

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2021 17h32 - Atualizado em 19/07/2021 18h17
EFE/EPA/JIM LO SCALZOPelo menos cinco pessoas morreram em invasão do Capitólio

A Justiça dos Estados Unidos emitiu nesta segunda-feira, 19, a primeira sentença de prisão pelo ataque ao Capitólio do país, ocorrido no dia 6 de janeiro de 2021. Paul Allard Hodkings, uma das centenas de pessoas que invadiu o Congresso no dia em que a vitória de Joe Biden seria formalizada no país, é apoiador de Donald Trump, se declarou culpado e afirmou que a decisão de invadir o local foi “estúpida”. Durante a audiência, o homem, que é morador da Flórida e entrou no espaço com uma bandeira do ex-presidente republicano, afirmou que se deixou levar pelo entusiasmo da multidão. Ele foi condenado a oito meses de prisão, mas poderia ter levado uma pena de até 20 anos pelo crime de obstrução de um processo oficial. Por causa da confissão, os promotores retiraram outras acusações contra ele, que envolviam entrada não autorizada em um prédio com restrições e conduta desordeira.

Ao declarar a sentença, o juiz Randolph Moss afirmou que os atos do dia 6 de janeiro não podem ser considerados como um protesto. “Foi um ataque à democracia. Deixou uma mancha que vai ficar em todos nós, no país, durante anos e anos”, pontuou. A recomendação inicial do Ministério Público foi de que Hodkings fosse preso por 18 meses, pena reduzida na decisão do magistrado. Agora, o país se prepara para uma série de julgamentos envolvendo os ataques em Washington D.C., já que, na época do crime, o FBI realizou buscas minuciosas dos invasores com ajuda de fotos e vídeos feitos pelos próprios manifestantes. Ao todo, cinco pessoas morreram no episódio.