Maduro muda discurso e diz que Carvativir é complementar contra Covid-19

O medicamento à base de tomilho já teria passado por estudos clínicos nos últimos meses, mas Academia Venezuela de Medicina considera cedo para cravar a sua eficácia contra a doença

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2021 16h08 - Atualizado em 27/01/2021 16h26
EFE/EPA/Miraflores press / HANDOUTO presidente Nicolás Maduro se corrigiu durante uma reunião com médicos

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, retificou nesta terça-feira, 26, a declaração que havia dado há dois dias sobre o medicamento Carvativir, à base de tomilho, ser “milagroso” e capaz de neutralizar 100% das infecções pelo novo coronavírus. “Posso dizer que está provado que o Carvativir é um poderoso antiviral complementar para sanar e curar a Covid-19“, corrigiu-se durante uma reunião com médicos transmitida pela emissora pública de televisão “VTV”.

Na primeira vez em que falou sobre a droga, Maduro explicou que ele havia passado por estudos clínicos, científicos e biológicos nos últimos nove meses que incluiriam experimentos em pacientes com sintomas moderados e graves. Essas pessoas, segundo o presidente, teriam se recuperado graças às gotas da Carvativir. No entanto, a afirmação provocou polêmica na Venezuela e não teve apoio da Academia Venezuelana de Medicina, que recomendou esperar por mais dados antes de garantir que o Carvativir combate ao coronavírus.

*Com informações da EFE