Ministro da Defesa do Cazaquistão é demitido por ‘falta de liderança’ contra protestos no país

Murat Bektanov foi acusado de desestabilizar imagem da ex-nação soviética ao precisar chamar tropas russas para controlar manifestações populares

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2022 11h13
Ruslan PRYANIKOV / AFP multidão de pessoas no cazaquistão Manifestações durante a primeira semana de janeiro no país deixaram mais de 200 mortos

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, anunciou nesta quarta-feira, 19, que demitiu o seu ministro da defesa, Murat Bektanov, por “falta de liderança” durante os protestos que deixaram pelo menos 225 pessoas mortas no país no começo de janeiro. “Durante os eventos de janeiro, as Forças Armadas, por causa da sua falta de liderança e de iniciativa, não foi capaz de cumprir as tarefas designadas a eles”, afirmou o mandatário em pronunciamento. Para “controlar” a multidão de insurgentes que ateou fogo em prédios públicos, o ex-país soviético precisou acionar tropas russas, o que afetou diretamente a imagem de “estabilidade” da nação. O cargo de Bektanov será ocupado pelo chefe da Guarda Nacional do país, Ruslan Zhaksylykov, que ao assumir o posto afirmou que as forças armadas precisam ser “modernizadas para prover a liderança” necessária contra “ameaças externas”. O governo do Cazaquistão, que precisou lidar com as revoltas populares engatilhadas pelo aumento no preço do gás do país, foi alvo de polêmicas porque deu às forças de segurança nacionais permissão para atirar e matar manifestantes, que, segundo eles, seriam treinados por outros países para promover o terrorismo.